Talent management? There’s a gadget for that

Os smartphones são um exemplo claro de tecnologias que estão ao alcance da nossa mão e que podem melhorar a capacidade das empresas em gerir talento

Num panorama empresarial marcado pela competitividade e concorrência, os recursos humanos assumem-se como único fator crítico de sucesso capaz de gerar uma vantagem competitiva sustentável. Neste sentido, é necessário ir além de um modelo de gestão reativa colocando o foco principal no desenvolvimento de talentos alinhado com a estratégia da empresa, revelando-se inevitável o recurso à tecnologia para dar resposta a esta necessidade.

As empresas têm, então, a necessidade de responder a este desafio, tornando-se inevitável que este novo modelo de gestão seja suportado por sistemas tecnológicos de informação e comunicação. O ambiente WEB passa a fazer parte da empresa, sendo possível criar centros de partilha de informação em tempo real e inclusive criar uma rede social interna, que fomente uma visão comum e sirva de suporte ao alinhamento entre o posicionamento da empresa e a ação dos seus colaboradores. As empresas de tecnologias ganham progressivamente a consciência desta demanda do mercado e, apenas aquelas que acompanharem a evolução destas necessidades organizacionais, disponibilizando soluções criativas, conseguirão tornar-se parceiros estratégicos nesta “Era” de ligação (permanente) entre empresa e colaborador.

Independentemente da tecnologia utilizada, um “Portal” da empresa proporciona uma sinergia perfeita entre práticas de recursos humanos e comunicação. Os dispositivos tecnológicos permitem, hoje, transportar um “portal do conhecimento” para fora do reduto da empresa, catapultando-se, inclusive, para além do, já tradicional, computador. Com o aparecimento do mais variado tipo de “Gadgets”, que conquistam cada vez mais utilizadores, porque não utilizá-los como forma facilitadora dos processos de gestão empresarial? Esta passagem para o campo do “Mobile” aproxima os colaboradores/talentos da organização, abrindo a possibilidade a que tarefas como aprovar mapas de férias, preencher a avaliação de desempenho ou fazer a inscrição numa formação possam ser executadas enquanto se espera por uma consulta médica ou se efetua uma viagem de comboio, sempre que o colaborador assim pretender.

Neste novo paradigma visão humano-tecnológico é possível conciliar questões intemporais como a gestão de base dados ou análise de dados, com as novas tendências de gestão, como a gestão proativa de talentos (no sentido amplo da configuração deste conceito). Cabe às empresas de tecnologias de informação acompanhar esta exigência do mercado e responder às necessidades de utilizadores cada vez mais exigentes, pois só este será o caminho do sucesso.